Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2010

Em rio que menino nada raia não ferra

Em rio que menino nada raia não ferra é o primeiro livro de contos e crônicas de Olivia Maria Maia, que será lançado na próxima terça-feira, 17 de agosto, às 19h30, no Martinica Café, na 303 Norte.
Olivia Maria Maia nasceu em Rio Branco — Acre, onde viveu a infância entre banhos em rios e igarapés e brincadeiras em quintais sem cercas. Mora em Brasília desde 1972.
Uma mulher que se transforma em criança, com a alma cintilando nos olhos. Mulher do norte, firme e forte, que às vezes fraqueja, mas nunca foge da luta; que dança ciranda, frevo e samba, imitando o compasso da vida, e bota muita gente pra dançar quando roda a baiana; que tanto sabe tocar os atabaques como as harpas dos anjos.
E Olivia vai por aí, na procissão da vida, com todo o cuidado com o andor, pois o santo é de barro, lembrando o que lhe disse o Bita, profeta das ruas acreanas: ainda vai chover muito nesse teu roçado. Agradecida, ela roga que as águas do céu sejam abençoadas por Vênus, Atena, Ísis, Yemanjá, que fertilize…

Pequeno texto para Cinthia

Luci Afonso
Busco as palavras de Cinthia quando estou sedenta, e nelas sempre me sacio. Uma frase, e a tristeza desvanece; outra, e a solidão se retira, sem argumento.
Tantas palavras!... Se está triste, ela escreve. Se está feliz, também. Inspira, escreve, expira, reescreve. Humaniza sujeitos, esculpe advérbios, semeia adjetivos.
...E tão belas! A florzinha miúda e o jardim recatado nunca mais ficarão sem poda. A saudade descansa, a esperança enflora: há grandeza plantada aqui.
Um parágrafo de Cinthia suaviza dores do corpo ou da alma — um conto inteiro pode curar o câncer.




Leia alguns contos de Cinthia Kriemler neste blog.
Conheça as palavras abraçadas de Cinthia.
Veja fotos do lançamento no fotolog à direita.