sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

BANCA SEM PAREDE

BRASÍLIA ASSISTE A RARA CONJUNÇÃO CÓSMIC0-ARTÍSTICA-SENSORIAL-DEGUSTATIVA




POR QUÊ? Porque precisamos transformar o mundo com arte.

QUEM? Escritores incríveis, ilustradores sensacionais, artistas plásticos fantásticos.

QUANDO? Sábado, 10 de dezembro, a partir das 13h.

ONDE? No ponto de maior concentração energética do planeta. Vênus rege a Ala de Escritores e Editoras Independentes.

PICNIK NA PRAÇA DOS CRISTAIS
facebook.com/picniknocalcadao
www.picnik.art.br
bancasemparede@gmail.com
#Compartilhe:

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Como nasce uma velhota




Conheça o processo de criação do livro Velhota, eu? 2ª edição 2013
Equipe
Luci Afonso (autora) 
Patrícia Meschick (design e diagramação
Eudaldo Sobrinho - Neno (design e ilustrações)






https://www.behance.net/gallery/26185751/Velhota-eu

#Compartilhe:

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Resenha de Velhota, eu? no Bússola Literária





Palavra do Editor

Arisson Tavares da Silva

Novembro de 2016




Nossa sugestão de leitura para o mês de novembro de 2016 foi Velhota, Eu?, de Luci Afonso.

Já de cara, gostei muito da capa e da diagramação da segunda edição do livro (revisada e ampliada). Não é a toa que outra obra da autora, Senhora dos Gatos, foi finalista do 55º Prêmio Jabuti de Literatura na categoria Melhor Ilustração e ganhou o 14º Prêmio Jorge Salim de Excelência Gráfica na categoria Design Gráfico. Enfim, com as ilustrações de Eudaldo Sobrinho e diagramação de Patrícia Meschick, o livro já me encantou só pela qualidade gráfica.

Após começar a leitura, percebi que, para acompanhar textos tão interessantes, a diagramação na verdade estava à altura. Para mim, que conheci pessoalmente a autora, foi divertido ver por meio das letras uma Luci ousada e 100% cômica (que vive escondida por trás de uma senhora aparentemente tímida e de voz baixa).

A crônica que deu nome ao livro é uma prova disso. A narração mostra o sentimento estranho que nasce ao ser chamado de "velho" pela primeira vez. Também ri muito ao ler o texto Barriguda, no qual as pessoas perguntam de quantos meses está o bebê (sendo que ela não está grávida).

Outro destaque é a Oração de uma Recém-Aposentada, na qual satiriza com maestria os medos e anseios de quem vive esta realidade. Também gostei da crônica Ando Esquecendo as Palavras, que apresenta como remédio para memória a leitura em um texto bem inteligente.

Mas não pense que a obra só retrata temas da terceira idade. Pelo contrário! O livro traz algumas crônicas bem poéticas, nas quais é preciso refletir para compreender, além de textos picantes e situações da infância.

No fim, a obra apresenta duas análises bem bacanas, uma do escritor Marco Antunes e outra de Antero Barbosa, que trazem definições de crônica. Tratam-se de dois prefácios (da primeira e da segunda edição).

Gostei muito do livro e indico para todos os tipos de leitores adultos, principalmente os que gostam de se divertir com textos inteligentes (só não indico para os leitores mirins por conter textos um pouco mais salientes, se é que me entende)
.
Fiquei curioso para experimentar novas obras da autora. Sensacional!

http://abussolaliteraria.blogspot.com.br/2016/11/palavra-do-editor-novembro-de-2016.html



A resenha foi também publicada no blog do Arisson:




http://evolucaodecrescentetextos.blogspot.com.br/2016/12/resenhando-12-velhota-eu-de-luci-afonso.html
#Compartilhe:

domingo, 4 de dezembro de 2016

Bate-papo com Luci Afonso



QUEM DISSE QUE ALUNO NÃO GOSTA DE LER?




Gosta, sim, pelo menos os alunos da E.M. Profa. Auxiliadora Paiva, em Araxá, Minas Gerais.

Veja as fotos do nosso encontro:

https://www.facebook.com/profile.php?id=100000434529474&sk=photos&collection_token=100000434529474%3A2305272732%3A69&set=a.1355298954494576.1073741844.100000434529474&type=3&pnref=story


#Compartilhe:
© LUCI AFONSO| A Crônica Brasileira