Pequeno texto para Cinthia


Luci Afonso

Busco as palavras de Cinthia quando estou sedenta, e nelas sempre me sacio. Uma frase, e a tristeza desvanece; outra, e a solidão se retira, sem argumento.

Tantas palavras!... Se está triste, ela escreve. Se está feliz, também. Inspira, escreve, expira, reescreve. Humaniza sujeitos, esculpe advérbios, semeia adjetivos.

...E tão belas! A florzinha miúda e o jardim recatado nunca mais ficarão sem poda. A saudade descansa, a esperança enflora: há grandeza plantada aqui.

Um parágrafo de Cinthia suaviza dores do corpo ou da alma — um conto inteiro pode curar o câncer.







Veja fotos do lançamento no fotolog à direita.

Postagens mais visitadas deste blog

Os personagens e seus nomes

Roupa de época

A escrita de uma crônica*