Experiências em Palavras




(Revista da Casa — Câmara dos Deputados, n° 76, 04/09/07)





Traduzir pensamentos e experiências em palavras, esse é o objetivo da servidora do Departamento de Taquigrafia (Detaq) e escritora, Luci Afonso. De suas vivências do cotidiano, a mineira de Araxá tirou os temas para suas crônicas que geraram o primeiro livro publicado pela funcionária da Casa. “Velhota, eu?” que foi lançado no dia 2 de abril e garantiu à escritora a participação na 26ª Feira do Livro de Brasília.
Luci Afonso, filha mais velha de quatro irmãos, mudou-se para Brasília ainda criança, em 1971, acompanhando o pai comerciante e a mãe, que foi funcionária da biblioteca da Câmara. A servidora do Detaq, que ingressou na Casa em 1985, conta que seu interesse pelas letras surgiu ainda na infância e foi retomado agora com a participação nas oficinas culturais da Câmara. Ela revela que o livro foi todo escrito nas Oficinas de Crônicas do Núcleo de Literatura do Espaço Cultural Zumbi dos Palmares. Do convívio nesses grupos surgiu a idéia e o apoio para construção da obra.

A servidora lembra que sempre escreveu o mesmo tipo de texto, mas que foi somente nas oficinas, sob coordenação do professor Marco Antunes, que descobriu o que eram: crônicas. Sua primeira produção publicada foi uma crônica, no 1° livro de Literatura de Câmara de 2004, uma coletânea de textos dos participantes das Oficinas da Casa.

A escritora, mãe de um menino de 11 anos, diz que escreve sobre temas do cotidiano, geralmente coisas que acontecem durante seu dia-a-dia. A crônica que deu nome ao livro, foi escrita a partir de um episódio envolvendo a autora e um jovem que se dirigiu a ela como velhota, relata a mineira de gestos contidos, que completa “deu uma crônica engraçada”. Bom humor, aliás, é o ponto em comum dos escritos da servidora do Detaq.

No prefácio do livro “Velhota, eu?”, escrito pelo professor Antunes, ele destaca: “É crônica tudo aquilo que for manchete na alma do cronista. Desabem sobre o mundo as torres da insensatez humana, para o cronista, no entanto, sem traumas ou vergonha, a grande notícia do dia pode ter sido a morte de um simples quati na garagem de seu prédio”.

Para escrever, Luci Afonso conta que possui um espaço bem tranqüilo em casa e prefere se dedicar à atividade pela manhã. O prazer em escrever pode ter vindo de outro hábito: a leitura. Entre as prediletas dela estão os poetas Manoel de Barros, Carlos Drummond de Andrade e Adélia Prado; e os cronistas Fernando Sabino, Rubem Braga e Caio Fernando Abreu. Por falar em Sabino, o escritor define crônica dizendo que ela “busca o pitoresco ou o irrisório no cotidiano de cada um”.

Desde os 11 anos morando em Brasília, a mineira diz que aprendeu a gostar da capital. Ela participa de saraus declamando poemas. Foi em um desses saraus, que acontecem de dois em dois meses, que foi lançado o livro “Velhota, Eu?”, no teatro Sesc Garagem.

A servidora cursou letras na Universidade de Brasília (UnB) e trabalha com revisão de textos aqui na Casa, o que acredita facilitar seu trabalho como escritora. O artesanato também faz parte da rotina da escritora, que produz garrafas com sementes e figuras para presentear amigos.

Luci diz incentivar seu filho a ler, mas revela decepcionada: “por enquanto ele ainda não gosta”. Para ela cada um tem seu tempo para simpatizar com os livros. “De repente pode surgir o interesse pela leitura”, opina.

A participação na 26ª Feira do Livro de Brasília foi um incentivo da editora, segundo Luci Afonso. “Eles reservaram um horário no estande deles para eu divulgar o livro”, diz ela. Sobre a experiência? “Estou muito animada, já contratei até fotógrafa”.

Além do livro “Velhota, eu?”, Luci Afonso mantém um blog onde são publicados seus textos inéditos e o trabalho de amigos escritores. O espaço permite a ela ter um retorno sobre seu trabalho. “No blog tem a opinião de alguns autores, inclusive portugueses, sobre o meu livro. Mandei pedindo uma opinião e eles responderam”, afirma.

Futuramente, a escritora planeja publicar mais uma coletânea de crônicas e adianta que o 2° livro de Literatura de Câmara já está em fase de revisão e terá um texto de sua autoria. Luci Afonso ainda participa como jurada do 1º desafio dos contistas promovido pelo professor Marco Antunes.
Para conhecer mais o trabalho da escritora: http://luciafonso.blogspot.com/

Participação na 26ª Feira do Livro de Brasília: dia 04/09/07 das 14h às 15h e dia 06/09 das 21h às 22h. Stand 9, da Thesaurus Editora.

Postagens mais visitadas deste blog

Roupa de época

Os personagens e seus nomes

A escrita de uma crônica*