Cachorro-do-mato



Luci Afonso


Muitas coisas podem acontecer a partir de um nome, diz “A Mocinha no Mercado Central”, de Stella Maris Rezende. Tem nomes que inspiram, tem outros que amedrontam.
Cachorro do Mato, por exemplo. Logo pela manhã, ao abrir o correio eletrônico, vejo que ele deixou novo comentário no meu blog. Antes de ler, fico pensando: o que esperar de alguém que escolheu um nome tão agressivo, ao invés de milhões de outros agradáveis, gentis, convidativos?
Define o Aurélio:
cachorro1
(ô) [Do lat. vulg. *cattulu < lat. catulu, ‘cão pequeno’.]
Substantivo masculino.
1. Cão novo e pequeno.
2. Qualquer cão.
3. Cria de lobo, hiena, onça, leão, etc.
4. Indivíduo indigno; canalha, cafajeste.
5. Menino travesso, turbulento, levado; cachorrão.
Cachorro espritado. Bras. N.E. Pop. Cão hidrófobo.
Soltar os cachorros. Mostrar-se hostil, agressivo.
            Soltar os cachorros em cima de. Bras. Pop. 1. Insultar, apostrofar:”

cachorro-do-mato
Substantivo masculino.
1. Bras. Zool. Mamífero carnívoro, canídeo (Dusicyon thous), com três subespécies brasileiras. De coloração pardo-cinzenta, tem o dorso, cauda, focinho e garganta negros. Mede 70cm de comprimento e 30cm de cauda, e alimenta-se de pequenos mamíferos, aves, frutos, e até de insetos, sobretudo coleópteros. [Sin. aguaraxaim, graxaim, guaraxaim. Pl.: cachorros-do-mato.]”

mato
[De mata1.]
Substantivo masculino.
1. Terreno inculto onde medram plantas agrestes; brenha, charneca, mata.
3. Bras. O campo (por oposição à cidade); a roça.”
           
 Entre os vários adjetivos, pesquiso “hostil” no Houaiss: ameaçador, afrontoso, agressivo, descortês, desrespeitador, grosseiro, insultuoso, ultrajante, antipático... A lista é enorme, assim como a possível combinação entre os substantivos e adjetivos de ambos os dicionários.
Bem, estou pronta. Abro o comentário e lá está: “Coversa fiada”, a respeito de uma crônica sobre o primeiro gato que adotei para meu filho e como isso mudou nossa vida. É um relato sincero, mas que não escapou aos dentes de Cachorro do Mato. Até sinto pena do meu crítico feroz: não sabe a delícia que é ter um gato, desconhece a ortografia da língua portuguesa, não se atualizou no uso do hífen após a reforma ortográfica e, acima de tudo, tem um nome horrendo que é o seu focinho.
Cachorro do Mato, saia do mato, escolha um nome de gente e faça por merecê-lo.

Postagens mais visitadas deste blog

Roupa de época

Os personagens e seus nomes

A escrita de uma crônica*