Meio Manual do Ambiente

Luci Afonso


Manual do poluidor

Onde há fumaça, há efeito estufa.
Com fogo se desmata.
Poluo, não paro... nego enquanto puder.
É mais fácil poluir do que preservar.
O que é do bicho o homem toma.
Roupa suja se lava com muita água.
Nada como um saco plástico depois do outro.
Um resíduo ao mar, outro à terra.
Poluir é humano.
Antes nunca do que agora.
Dos males, o maior.
Broto de árvore já nasce queimado.
Saco vazio não fica sem lixo.
Ozônio baixo, ultravioleta que racha.
Antes sujo que preservado.
De mão em mão, o lixo enche o saco.



Manual do preservador


Quem semeia florestas colhe oxigênio.
Quem sequestra carbono semeia biodiversidade.
Meio ambiente preservado vale por dois.
Homem que preserva tem cem anos de perdão.
Mais fácil acender uma vela que causar a escuridão.
O urso polar é que sabe o tamanho da calota.
O estrago é mais feio do que pintam.
Há males que vêm para mal.
Não faças ao planeta aquilo que não queres que ele te faça.
A poluição se volta contra o poluidor.
O homem desmata e se mata.
O que a natureza sofre o planeta sente.
O consciente paga pelo poluidor.
Cada um polui por si, Deus castiga a todos.
A Terra cobrará o teu entulho.

(Texto produzido como parte de campanha de divulgação da Semana do Meio Ambiente.)
(Imagens: Ayodê França de Morais - Pernambuco e Sérgio Gonçalves Brito, São Paulo / Ecocartoon - 2º Salão Internacional Pátio Brasil de Humor sobre Meio Ambiente)

Postagens mais visitadas deste blog

Roupa de época

Os personagens e seus nomes

A escrita de uma crônica*