Oração ao caixa eletrônico



Luci Afonso


Caixa nosso que estais no (especificar o local), santificado seja o vosso autoatendimento, venham a nós as vossas cédulas, seja feito o nosso saque, assim na segunda como na sexta-feira. O extrato nosso de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos a quem nos tem endividado e não nos deixeis sem dinheiro na mão, mas livrai-nos de defeitos no terminal. Amém.

Creio no caixa todo-poderoso, criador do autoatendimento, seu único benefício, nosso servidor, que foi concebido pelo poder do banco, nasceu da tecnologia, padeceu sob a assistência técnica, foi desligado, interrompido e reinstalado; desceu à seção dos mortos, reiniciou no centésimo dia; subiu a rampa do (especificar), está localizado à direita do (especificar), donde há de atender a funcionários e terceirizados. Creio na inviolabilidade da senha de seis dígitos, na segurança das transações virtuais, na interligação dos bancos, na emissão dos extratos, na remuneração da Câmara e nos proventos eternos. Amém.

Postagens mais visitadas deste blog

Roupa de época

Os personagens e seus nomes

A escrita de uma crônica*