O sonhador de moradas



Luci Afonso


Com a alma embriagada de imaginação, o sonhador de moradas transcende seus limites e faz do universo a sua casa.
Fertiliza os ambientes que habita com sensibilidade e beleza.
Amplia e desdobra os espaços, transportando-os para outros tempos, outros planos.
Molda o futuro em composições translúcidas.
Aloja-se em toda parte, mas não está preso a lugar nenhum, sempre no devaneio de outro ninho.
Alça voo para o imaterial, no fascínio de transpor os obstáculos que o prendem à matéria.
Lança-se para o etéreo, onde produz infinitos eus e inaugura múltiplos olhares.
As asas impalpáveis do sonhador de moradas o elevam ao cosmos e à eternidade.





Inspirado na expressão “Sonhador de Moradas”, do filósofo e poeta francês Gaston Bachelard, o artista plástico Lelo criou uma imagem de grande força poética, que alcança de imediato nossa consciência sonhadora. O devaneio do artista produz um ser que se liberta de toda clausura e ascende à imensidão do cosmos, através da imaginação e do sonho, em busca de outros espaços.

Todos somos sonhadores de moradas: ao mesmo tempo em que habitamos nossas casas, projetamos incessantemente nossa alma por universos não desvendados à procura do além, do mais, do mais além.
(A obra estará exposta no Cefor até 9 de abril.)

Postagens mais visitadas deste blog

Os personagens e seus nomes

Roupa de época

A escrita de uma crônica*