Será que você merece um ano novo?




Marco Antunes

Prezado amigo! Venho hoje desejar a você um feliz ano novo, mas antes, gostaria de fazer-lhe algumas perguntas pertinentes para saber se vão adiantar de alguma coisa meus sinceros votos em breve formulados.

Tudo bem pra você? Sei que serão muitas perguntas e que você é pessoa das mais ocupadas e que, como costuma dizer, seu tempo é dinheiro, nesse caso, restaria desejar-lhe que seu próximo ano seja um cofre do qual só você saiba o segredo.

É verdade que, se seu ano for assim, há de ser bem escuro e abafado, mas quem sabe você se ilumine com o brilho das barras de ouro de suas ocupações inadiáveis e se abane com as cédulas de tempo produtivo.

Se diante dessa constrangedora imagem, o distinto amigo resolveu sentar-se um pouco e responder às perguntas, sugiro que faça, então, o firme propósito de responder com rigorosa honestidade às minhas curiosas indagações.

Sim, exatamente isso, não porque tema ser enganado, mas porque temo que se engane a si próprio e a franqueza das respostas é essencial para a soma dessa equação que passo a formular.

Está pronto? Sugiro que se sente agora frente a um amplo e nítido espelho de onde se possa ver de corpo inteiro.

Está bem acomodado?

Pois bem, vamos lá então!

Quantas vezes no ano que passou você foi visitado por uma criança? Mais precisamente aquela com quem você se encontrava nas tardes fagueiras à sombra dos laranjais?

Quantas vezes essa criança levou você pra tomar sorvete de manhã no último inverno?

Por acaso essa criança sugeriu que você convidasse um amigo para cabularem juntos uma obrigação social?

Em que mês um rapazinho bateu na sua janela para você vir correndo espiar a nova vizinha com ele sobre o telhado?

Você trocou com ele as figurinhas da vida repetidas para que ambos fechassem o álbum ao mesmo tempo?

Pode ter acontecido de um moço bonito ter ido com você à lanchonete da esquina pelo simples prazer de sentar em um banco e ver o tempo passar?

Nesse dia você contou pra ele que andava inseguro e não conseguia decidir que rumo tomar para chegar a você?

Existe alguma possibilidade de numa dessas noites frias de junho você ter saído sozinho pelas ruas tentando encontrar “por acaso” aquela pessoa que faz o sono faltar e estica as horas da noite com febres sem cura?

Você por essa esperança chorou ao meio-dia no metrô e se prometeu que era a última vez que andava nessa linha?

Desceu numa estação improvável e teve a nítida impressão de ter visto o vulto amado entre milhares de transeuntes banais?

Conta só pra mim, você trocou receitas de felicidade com sua melhor amiga este ano que passou?

Ela contou pra você que num distante país asiático encontraram uma nova deusa entre as crianças do lugar e vocês riram imaginando se ela não seria uma divindade ocidental?

E no dia do seu aniversário você fugiu mais cedo do trabalho dizendo que ia tomar um chopp com os amigos e na verdade foi ver o pôr-do-sol sozinho no parque?

Agora, em segredo, conta só pra mim, você sonhou que tinha embarcado num cruzeiro no mediterrâneo com sua atriz de cinema favorita e só por isso ficou vermelho quando alguém lhe perguntou se estava apaixonado?

Tá certo, tá certo, perguntas mais simples, já que anda desacostumado de brincar com a imaginação.

Você amou?
Você sonhou?
Você fez planos?
Você dedicou algum tempo pra ser feliz?
Você finalmente percebeu que perder um tempo sem propósito faz de você uma pessoa mais livre?
Você cresceu nesse ano que passou?
Você não quis crescer mais nesse ano que passou?

Então, se respondeu sim a pelo menos uma dessas perguntas:

Há uma esperança para o seu ano
Sim, é possível que seja um feliz ano novo
Independente de que eu o deseje a você
Independente de que alguém o profetize
Sim, é possível que o novo ano seja pleno de novas surpresas e pequenas felicidades
Sim, é possível que você se pegue rindo à toa
Que você pregue uma peça na vida e aja de modo impróprio para sua nova idade
Sim, é possível que novas estrelas surjam no firmamento de sua vida
Sim, é possível que nesses novos 365 dias você encontre um ano feliz
Ou que um ano possível encontre você feliz
Sim, é provável que você mereça um ano novo
E que o ano seja novo em você de novo
E que o novo seja feliz
Sim, é possível! E a melhor notícia
É provável que você seja possível de novo!

Postagens mais visitadas deste blog

Os personagens e seus nomes

Roupa de época

A escrita de uma crônica*