Diário



Luci Afonso


...Janeiro

Beijo homem moreno com flores no corpo. Observo meninos pelados nas árvores. Dançando com vestido vermelho curto. Ajudo menina a fugir da escola.
Matei um homem, queimei as roupas dele e fugi. Meu pai precisava ser enterrado. Conserto meus anéis.
Namoro homem cego e defeituoso. Nadando nua ao sol. X era meu e depois morria.

Fevereiro

Comunidade espiritual em Planaltina. Uma cobra e uma aranha azuis na minha cama. Passeando em Paris.
Visita a Araxá. Quarto arrumado com hortênsias. Escultor cego.
Festa em que eu não me divertia. Dente quebrado. Dando banho num macaco.

Março

Beijando um homem alto, que me levantava do chão. Eu tinha matado uma mulher e me escondia. Encontro meu pai, peço desculpas, nos abraçamos.
Oficina de bordado. Perdida em labirinto. Embalando criança.
Vestido de casamento cor de vinho. Noivos gêmeos.

Abril

Muitos arco-íris. Meu pai era mestre-de-obras na minha casa. Nadando com bebê.
Eu era escolhida num templo e aprendia a velejar um barco sagrado. Casa da minha avó com óleo derramado no chão.
Sandália nova se estragando. Igrejas velhas. Bordando um girassol.

Maio

Andando de elefante sem conseguir descer. Morcegos. Banho de rio.
Procurando livro espírita. X tirava verrugas das minhas costas. Caixa com cabeças de boneca.

Junho

Rapaz me dava duas imagens de São Francisco. Bebês morrendo. Correndo nua com X pela multidão.
Pisando na água do mar.

Julho

Minha mãe jovem e neutra. Abraçando árvore de flores amarelas em Pirenópolis.
Protegendo minhas jóias. Ex-namorado queria me matar.
Ateliê com vista para o lago. Consertando bainha de vestido de criança.

Agosto

Minha mãe andava ao lado do meu pai. Lojinhas de artesanato no caminho de casa. Cavalo branco pintado de prata.
Loja de conserto de canetas. Colar de pedras verdes. Menina atropelada. Mulher chinesa superando obstáculos.

Setembro

Conversando com Rubem Braga. Moedas diferentes na bolsa. Hóspedes. Ouvindo música francesa. Velhinha-menina no meu colo.
Namorando deficiente físico casado. Carta bordada. Copiando poemas.
O vento modificava meus desenhos. Castelo em reformas. Barco vermelho.

Outubro

Mandei uma amiga matar a mãe dela e estava com medo de ser presa. Procurando vestido de noiva. Nua no Ciclo.
Água negra em Itiquira. Cabeça de bebê. Caravana de mulheres grávidas. X deixa cair dois cristais. Casa em construção à beira-mar.
Presa no mundo virtual com muitas crianças. Viagem de navio. I-Ching sobre os homens.

Novembro

Cozinha suja, cangurus mortos. Ruínas da casa onde meu pai havia crescido. Procurando livro antigo.
Espetáculo japonês. Fazendo criança dormir. Conversa com Wisnik.
Cavalgando cavalo azul. Nua no trabalho. Dois anjos de pedra-sabão.

Dezembro...

Pesadelo em país árabe. Sinal de lepra nas mãos.
Peregrinação para o Egito. Carregando gato listrado.
Uma borboleta brotava na minha mão. Planta do orgasmo. Um olho novo nascia dentro do meu.



Imagem: "Deux jeunes filles en fleurs", Odilon Redon, óleo sobre tela, c.1905-12.

Postagens mais visitadas deste blog

Roupa de época

Os personagens e seus nomes

A escrita de uma crônica*