Pular para o conteúdo principal

Ci tem Vick, tem?


A cara redonda apareceu na porta do quarto após um mês de licença médica.
— Melhorou, Ana?
— Melhorei, Ci. Só tô um pouco troncha.
— O que foi?
— Meu peito piou a noite inteira. Ci tem Vick, tem?
— Suas pernas continuam inchadas, Ana.
— É mesmo. Ci tem sebo de carneiro?
— Você está tomando os remédios para emagrecer?
— Eu tô encruada, não emagreço mais. Vou tentar a cirurgia.
— Mas você não come, Ana!
— É, Ci, mas com o estômago menor, quem sabe eu emagreço?
— Deve ser difícil conseguir vaga.
— Não, em janeiro de 2010 tem uma no HRAN.
— E as meninas, Ana?
— Estão boas. Só a Nen que vive deitada, com crise de enxaqueca. O psicólogo disse que é estresse.
— Estresse por quê?
— Ela vai casar.
— E a Juju?
— Fora o vômito, tá jóia. Tem vez que é o dia inteiro.
— Ela foi ao posto?
— Foi, o médico pediu uma endoscopia.
— Já marcou?
— Daqui a seis meses.
— E até lá, Ana?
— Ci tem chá de boldo?
— E o Nego, como está?
— Não adoece de jeito nenhum. Em compensação, não tem muita sorte.
— O que aconteceu?
— Foi assaltado. Levaram o salário e deram umas porradas nele.
— Machucou muito?
— Só o olho que inchou um pouco. Ci me empresta a bolsa de gelo, empresta?