sábado, 22 de dezembro de 2012

Comentários sobre Senhora dos Gatos





De: Aparecida Sepulveda
Enviada em: terça-feira, 11 de dezembro de 2012 18:09
Assunto: Re: Meu livro

Luci, te desejo um lançamento amoroso! O nome do seu livro está sedutor. Minha intuição diz que vem coisa boa por aí. Manda um livro prá mim? Vou escrever sobre ele para a Andaluz, em janeiro. Abração, Cida Sepulveda

De: deborahgodoy
Enviada em: terça-feira, 11 de dezembro de 2012 19:07
Assunto: Re: Lançamento do meu livro Senhora dos Gatos

Oi Luci,
Muito obrigada pelo convite e desde já, desejo muito sucesso com este novo "filho" da sua essência e do seu potencial maior. Até lá! Bjim Déborah


De: Isolda Marinho 
Enviada em: quarta-feira, 12 de dezembro de 2012 14:21
Assunto: Re: oi, Luci
Que bom que vc ficou feliz, Luci. Isso é o que importa. Bom saber que vc ouviu coisas boas e recebeu carinho. Eu já sabia, vc é bem querida no meio. Pq lhe privar disso? Faz um bem à alma. Desejo todo sucesso, Luci.  obs. me emocionei ao ler algumas crônicas, principalmente a última música. bj

De: vera harada
Enviada em: quinta-feira, 13 de dezembro de 2012 12:27
Assunto: Re: Lançamento do meu livro Senhora dos Gatos
Querida Luci bom dia! saudades de todos! Te desejo muiiito sucesso neste novo livro, que vc sempre nos dê o recado de bons contos, estórias pra embalar nossa imaginação.Vou ficar torcendo para que seja um belo lançamento, com muitas vendas e gente bonita de alma que vc merece! Que Deus te ilumine sempre com saúde, paz e harmonia! Vá em frente garota! e acima de tudo, seja muiiito feliz! obrigada pela lembrança.

De: Angela Delgado 
Enviada em: sábado, 15 de dezembro de 2012 12:45


Bom-dia, Luci, Como foi o lançamento? Eu deveria ter ido, mas, como já fora no outro e receando não encontrar vaga, acabei não indo, claro que me arrependendo depois. Poderíamos, quem sabe, ter batido um papinho, apesar de saber que em noites de lançamento, ficamos um pouco fora do chão, ou não? Li  seu novo livro e os contos de que mais gostei foram "Tio Céu" e "Palavrinha ou palavrão?", sem contar os já conhecidos "Mãe mar" e "Velhinho torto". Um bom fim de semana pra você, Angela

De: Maria Célia Corrêa 
Enviada em: domingo, 16 de dezembro de 2012 07:05
Assunto: Senhora da Literatura
Querida Luci, ri e chorei com seu livro. Lindo, cheio de emoções e de talento. Parabéns! Beijo. Maria Célia

-----Mensagem original-----
De: Simão Pedro Lamounier
Enviada: qua 19/12/2012 11:09
Assunto: senhora gata


Luci,
Acabo de ler o seu livro. Entre um paciente e outro deliciei-me com suas crônicas. Se elogiei a apresentação do livro quando o recebemos durante a perícia, agora posso afirmar que mais linda é a sua escrita. Ironia, poesia e muita sensibilidade: valeu!
Um grande abraço, simão. obs: como não guardo livros, tive preferência para ler primeiro; passarei a "Senhora" para a Dra. Fernanda.

De: Maria Cristina Vannucchi Leme
Enviada em: sexta-feira, 21 de dezembro de 2012 11:39
Assunto: Senhora dos gatos

Luci,
Assim que cheguei em casa, após o lançamento, li de um fôlego só seu novo livro de crônicas. Como nos livros anteriores, elas me emocionaram e divertiram. Acho que você tem muita argúcia para observar/escrever sobre relações familiares. Um misto de afeto e ironia, tão necessário para descrever tais relações. Se não te escrevi de imediato é porque não me ocorria nada de inteligente para dizer. Agora estou lendo novamente, saboreando melhor e me emocionando novamente. As expressões "fodopa" e "a vida é um grande biscoitão" já foram incorporadas ao léxico familiar. Um abraço apertado, Cristina

#Compartilhe:

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Noite de autógrafos de Senhora dos Gatos


#Compartilhe:

domingo, 9 de dezembro de 2012

Lançamento de Senhora dos Gatos no 53º Sarau da Câmara








O homenageado deste 53º Sarau é o Estado de Pernambuco, representado por quatro de seus maiores artistas: Luiz Gonzaga – cujo centenário de nascimento se comemora este ano -, João Cabral de Melo Neto – um dos maiores poetas brasileiros de todos os tempos -, Manuel Bandeira – o maior nome do Modernismo brasileiro -, e o compositor Lenine – que representa os novos talentos da música Pernambucana.

No palco, teremos o Coral da Câmara dos Deputados, a cantora Célia Rabelo e o Trio Regional Proibido Cochilar, de Luiz Barbosa, que interpretará na sanfona os maiores sucessos de Luiz Gonzaga.

Os participantes das Oficinas Literárias oferecidas pelo Centro Cultural da Câmara dos Deputados, membros do Núcleo de Literatura do Centro Cultural, apresentarão os poemas de Cabral e de Bandeira.

Teremos também lançamento de livros:

Além de Cinthia Kriemler, a escritora Luci Afonso vai lançar seu terceiro livro de crônicas: Senhora dos Gatos.

Ao fim, nossa tradicional mensagem de Natal com mais uma participação do Coral da Câmara dos Deputados.

Durante o espetáculo será servido coquetel com degustação de sabores pernambucanos.


SERVIÇO

Sarau em homenagem a Pernambuco – de Cabral a Luiz Gonzaga

Data: 10 de dezembro de 2012

Local: Teatro Sesc – Garagem 913 Sul – Brasília, DF

Hora: 20 horas

Entrada franca


Reserva de cadeiras: envie o nome completo dos convidados para o site ecult.mesa@camara.leg.br com cópia para o e-mail literaturadecamara@uol.com.br , para outras informações, contate-nos pelos telefones 3215-8093 com Luana, Ana Cristina ou Virgínia.

#Compartilhe:

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Cuidado com o X.!


 

Manuel Bandeira

 

Outro dia tomei um táxi-lotação para Copacabana, havia dois lugares vagos atrás, mas anoitecia, peneirava uma chuvinha miúda, fazia frio, preferi sentar-me no banco da frente para me aquecer ao calor da máquina. O passageiro que ocupava a ponta teve o gesto antipático de sair muito polidamente para me dar entrada, e lá fui eu, espremido entre ele e o chofer, quando a lotação se completou com dois novos passageiros. Estes eram grandes palradores, um ao que parece literato e bastante academizável, pois, caindo a conversa sobre a Academia, o outro perguntou-lhe: — Você nunca pensou em se candidatar?

Aí apurei o ouvido, quer dizer, dei toda a força à minha maquinaria de ouvir e o que ouvi foi isto, que reproduzo com a possível fidelidade:

— Eu, candidatar-me?

— Por que não?

— Deus me livre!

— Tem preconceito antiacadêmico?

— Não é isso. Não tenho é vocação para ser traído!

— Traído?

— Não quero dar ao X. o gostinho de me fazer o que fez ao A. e ao B.!

— Não conheço o caso, me conte.

— Pois ouça lá. A. e B. disputavam a mesma vaga. X., amigo de ambos, prometera o voto a ambos. Prometera de pedra e cal, como se diz. Era, porém, de crer que o desse a B., pois à véspera do pleito telefonara à mulher de B. recomendando-lhe: “E olhe, não se esqueça de pôr champanha na geladeira, a vitória é certa!”. Mas no momento de votar...

— Votou em A.

— Qual A. nem B.! Votou em C!

— Em C.? C. não tinha nenhuma possibilidade de ser eleito! Foi então um voto humorístico?

— X. não é humorista, você sabe disto melhor do que eu. Votou em C. porque o homem lhe andava prestando uns serviços, na ocasião precisava mais dele do que de A. e de B.

— Incrível!

— Mas ouça o resto, que ainda é melhor. X. teve o descoco de telefonar a B., que foi o eleito, para felicitá-lo: “Meus parabéns! Então ganhamos!” Ao que B. respondeu, seco: “Ganhamos sim, mas não com o seu voto, que foi de C.”. No dia seguinte B. recebia uma telefonada de C.: “Dr. B., quem votou em mim não foi o X., foi o Y.”. Grande surpresa de B., que telefona para A.: “C. me telefonou dizendo que quem votou nele não foi o X., foi o Y.”. A. desmentiu indignado: “É falso! Y. votou em mim, eu próprio fui o portador dos votos dele!”.

Eu escutava estarrecido. Decerto tudo aquilo era invenção. Mas invenção ou não, aviso aos navegantes: se se candidatarem à Academia, cuidado com o X.

                                      [28.VI.1961]


Manuel Bandeira, Crônicas para Jovens. Global Editora, São Paulo, 2012.
#Compartilhe:

sábado, 3 de novembro de 2012

Adivinhem quem está chegando?


Ela mesma...
A Senhora dos Gatos!
Faltam quarenta dias...

#Compartilhe:

Nova edição do Canto das Letras


O Canto das Letras, promovido pelo Centro Cultural Câmara dos Deputados, com o apoio da TV Câmara e do Sindilegis, é um programa que contempla artistas de Brasília, aliando música e literatura. Em formato de talk-show, o ator Jones Abreu e a poeta, servidora, Isolda Marinho recorrem a um bate-papo informal, no qual a plateia pode participar. Na edição de outubro, o evento contará com a presença dos escritores Vânia Moreira Diniz e Casimiro Neto, além da cantora e compositora Ângela Brandão.
           
Ângela Brandão tem se destacado como uma das principais compositoras da nova geração de Brasília. Faz sambas de raiz, valsas sofisticadas e música pop de qualidade. É jornalista da TV Senado, onde apresenta o programa Argumento.
           
Vânia Moreira Diniz é autora de romance, poesia, literatura infanto-juvenil e crônicas.  É  membro nacional vitalício da Academia de Letras do Brasil (ALB), com a cadeira número 1 no Distrito Federal. Mais informações:http://www.vaniadiniz.pro.br;

        O escritor Casimiro Neto é sócio titular da Associação Nacional dos Escritores. Paulista, radicado em Brasília desde 1970 e na Câmara desde 1994, publicou dois livros de poemas e dois acadêmicos. Escreve artigos em Cadernos do Museu da Câmara, catálogos de obras de arte da Câmara e na Revista Plenarium/CD.
 
SERVIÇO

Canto das Letras – A literatura encontra a música
Data: 8 de novembro, quinta-feira
Hora: 19 horas
Local: Auditório da TV Câmara – Edifício Principal
Entrada franca

 

 
#Compartilhe:

Três cronistas brasilienses


Luci Afonso

 
Nesses primeiros dias de chuva e de aposentadoria (combinação deliciosa), chegaram-me às mãos três livros que li e amei:


Ephemeris, A Idade do Nunca/L’Âge de Jamais (edição bilíngue), Angela Maria Delgado, Thesaurus Editora, 2005. Neste diário transformado em livro, acompanhamos Angela num ritmo frenético, que inclui ler, escrever, traduzir, cuidar da casa, ler, cuidar do marido, ler, olhar os netos, ler, caminhar, ler, andar de costas para usufruir o pôr do sol, ler, ter insônia, ler mais um pouco. Esta leitora ávida e exigente nos traz a companhia de Clarice Lispector e José Saramago, para citar apenas dois, ao mesmo tempo em que comenta a invasão do Iraque pelo Presidente Bush e outras questões mundiais. Várias leituras numa só uma experiência enriquecedora.

 
Quase pisei!, Roberto Klotz, Edição do Autor, 2009. Klotz é irreverência pura. Em suas caminhadas diárias pela Asa Norte, veste um short sem elástico, conversa com seu tênis (isto mesmo, tênis) tarado, passeia com uma poodle em formato de couve-flor e consola uma mulher que perdeu o piano no bingo. Tudo isso enquanto evita pisar nos montinhos deixados pelos cachorros, pois titica no tênis dos outros não fede. Para bom preguiçoso meio passo basta eu, que odeio caminhar, senti vontade de começar, ao saber que quem anda seus males debanda. Infelizmente, quando um pé não quer, o outro também não vai, e uma andadinha só não faz verão. Vou ficar sentada mesmo, lendo Klotz.

 
Do todo que me cerca, Cinthia Kriemler, Editora Patuá, 2012. O que posso dizer de Cinthia que já não tenha dito? Do conto à crônica, da carta ao romance, do poema ao ensaio, esta escritora de dez mãos é a maior promessa surgida no meio literário brasiliense nos últimos tempos. Você está triste, desesperançado? Leia um conto de Cinthia. Está exultante, apaixonado? Escolha um poema. Com sede na alma? Procure uma carta. Indiferente ao mundo? Devore as crônicas deste livro, escritas com sensibilidade, franqueza e até bom humor. Depois, apague as luzes e sinta os olhos brilhando no escuro não tanto quanto os de Cinthia, já que somos apenas seus leitores.
Senti-me muito bem acompanhada pelos três autores, enquanto a chuva trazia alívio à seca que nos cerca.
Viva a crônica!
Viva a chuva!
Viva Brasília!


 

 
#Compartilhe:

sábado, 27 de outubro de 2012

Vi e Amei


 
Intocáveis, a produção francesa de maior sucesso de todos os tempos, é baseada no livro O segundo suspiro, de Philippe Pozzo di Borgo. O ator Omar Sy ganhou o César, premiação mais importante do cinema francês. O filme recebeu ainda outras oito indicações ao prêmio. Riso e lágrima se alternam nesta comovente estória, em que a vontade e a alegria de viver superam a tragédia de um homem que se torna tetraplégico após um acidente.

#Compartilhe:

E por falar em foto...

 
Reunião da equipe de criação do meu livro Senhora dos Gatos: Lelo e Márcia Bandeira, ilustradores, e Ana Patrícia Meschick, responsável pelo projeto gráfico.
Lançamento previsto para início de dezembro. 

#Compartilhe:

Fotos do 21º Canto das Letras


Antes... Esta blogueira com a cantora Lidi Satier e a produtora e coapresentadora Isolda Marinho, cuja dedicação e profissionalismo garantem o sucesso do Canto das Letras.



Lidi repassa o som com o violonista Dennes Sousa, enquanto Isolda faz os últimos contatos.



Depois... A simpaticíssima escritora Rose Rocha.



Os escritores Roberto Klotz e Angela Delgado trocam livros.




Minha amiga contista Liana Ferreira.



O carismático ator Jones de Abreu, que comanda a apresentação do programa.





Lidi distribui autógrafos aos estudantes que compareceram ao evento.



Dennes Sousa, violonista.



Diego, aluno do Centrão nº 4, do Guará, deu um show de hip-hop.
 
 


O  primeiro CD da cantora, "Teia", será lançado hoje, às 21 h, no Clube do Choro de Brasília.
#Compartilhe:

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Mostra Cultural Mês do Servidor do Poder Legislativo












4 a 25 de outubro de 2012
Espaço do Servidor - Hall da Taquigrafia
Realização: Centro Cultural da Câmara dos Deputados
#Compartilhe:

sábado, 20 de outubro de 2012

Canto das Letras







O Canto das Letras, promovido pelo Centro Cultural da Câmara dos Deputados, com o apoio da TV Câmara e do Sindilegis, é um programa que contempla artistas de Brasília, aliando música e literatura. Em formato de talk-show, o ator Jones Abreu recorre a um bate-papo informal, no qual a plateia pode participar. Ele faz a leitura dramatizada de textos dos escritores e conversa sobre carreira e processo de criação, entremeando com as composições do músico. Na edição de outubro, o evento contará com a presença da escritora Rose Rocha, do escritor Roberto Klotz, além da cantora e compositora Lidi Satier.

 

Lidi Satier começou desde muito cedo os estudos de música. Engajada no canto desde 1994,  morou na Holanda, onde se aperfeiçoou como cantora. Formou-se em Comunicação Social, mas desistiu da vida acadêmica e passou a dedicar-se exclusivamente à música. Atualmente, mora em Hong Kong, onde atua como divulgadora da música brasileira. No momento, está em Brasília para lançar seu primeiro CD com o título Teia, produzido pelo baixista e arranjador Hamilton Pinheiro. O disco tem 11 canções, sendo 7 autorais. A canção Em Algum Lugar conta com a participação especial do vocalista e guitarrista Cláudio Venturini, da lendária banda mineira 14 Bis. Com repertório luxuoso e de qualidade, por onde passa, Lidi deixa a marca registrada de uma interpretação cheia de nuances e repertório diverso, que contempla todos os estilos. Uma cantora do mundo: de Minas, de Hong Kong, de onde o povo estiver. No Canto das Letras será acompanhada pelo violonista Dennes Souza.


 

O paulista Roberto Klotz é escritor e engenheiro civil aposentado. Em Brasília desde 1972, começou a escrever em 2003, quando um longo texto de sua autoria sobre cigarro foi apreciado pelo Dr. Dráuzio Varella. Passou a frequentar o Núcleo de Literatura do Centro Cultural da Câmara dos Deputados, onde diz ter lapidado as letras. É conselheiro de literatura no Conselho de Cultura da Secretaria de Cultura do DF. Autor dos livros Pepino e Farofa, Quase Pisei! e Cara de Crachá, Klotz fantasia loucuras verossímeis para os personagens que cria. Quando escreve, revela emoções. Surpreende com finais inesperados e gosta de provocar os sentimentos do leitor. Seu texto bem humorado já lhe rendeu 21 prêmios em concursos literários.


Rose Rocha é goiana e escreve em prosa e poesia desde a adolescência. Seu primeiro romance, Macacos não me Mordem, foi lançado na 20ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, em 2008, e divulgado em 2011, na Antologia Le Grand Show des Ecrivaines Bresiliennes – Editora Yvelinedion/Paris-França,  em parceria com a Rebra – Rede de Escritoras Brasileiras. O lançamento aconteceu no estande da editora no Salon du Livre de Paris . Em 2011, foi publicada na antologia O Indiscutível Talento das Escritoras Brasileiras, pela Editora Scortecci, São Paulo e, em 2012, foi incluída no Dicionário dos Escritores de Brasilia, de Napoleão Valadares. Graduada em Pedagogia e pós-graduada em Psicopedagogia Clínico-Institucional, Rose é professora do Instituto Legislativo Brasileiro, do Senado Federal.

SERVIÇO
Data: 25 de outubro
Hora: 19 horas
Local : Auditório da TV Câmara – Câmara dos Deputados, edifício principal
Entrada Franca
#Compartilhe:
© LUCI AFONSO| A Crônica Brasileira